• Brasil | Alterar site
  • Contact
  • Add to My Content
  • Share

04/07/2017

Em cinco anos, empresa reduziu o uso de mais de 50 toneladas de papel e 33 toneladas de plásticos e projeto será replicado para outros 14 países

Reformulação de embalagem de Cascola Flexite reduz impacto ambiental

A Henkel, fabricante das marcas Pritt, Loctite e Schwarzkopf Professional, simplificou a embalagem da linha de selantes Cascola Flexite 50g, como parte de sua estratégia global de sustentabilidade. Reformulada, a embalagem consiste apenas na própria bisnaga, eliminando a cartela de papelão, blister plástico e aplicador. Com a mudança, pensada e realizada pela equipe brasileira em 2012, foi possível eliminar o consumo anual de 10,4 toneladas de papel e 6,6 toneladas de plástico. O sucesso do projeto brasileiro acaba de ser replicado para outros 14 países, incluindo México, Espanha, França e Itália, para marcas irmãs da Cascola.

“Unimos a área de Compras, Pesquisa e Desenvolvimento, Produção, Marketing e fornecedores para pensar em um projeto que minimizasse o impacto ambiental. Graças a uma embalagem menor, sem a alteração da quantidade do produto, atingimos eficiência, reduzimos o custo e ainda simplificamos nossos processos, como otimização de estoques e logística” – explicou Claudio Amadio, gerente da marca Cascola.

A alteração trouxe ainda outros ganhos para a multinacional alemã. Um deles foi o aspecto estético e de visibilidade no ponto de venda. A versão mais enxuta permitiu pendurar os selantes em gancheiras e também posicioná-los de pé, em caixas e balcões. Outra vantagem foi a redução de custo do produto. Para comparação, hoje o mesmo selante na embalagem antiga seria 30% mais caro.

Para a companhia, a nova embalagem gerou uma economia de 1.770 m3 de água e 88.500 kilowatts/hora por ano, o equivalente à quantidade de energia necessária para abastecer a linha de envase de selantes durante um mês. Além disso, o tubo também ficou mais maleável, o que possibilitou o consumo até a última gota para os consumidores.

O projeto – que levou dois anos para ser concluído – teve de levar em conta estética, compatibilidade química dos materiais e layout técnico, de forma que contenham todas as informações obrigatórias e adaptações no maquinário de envase.