• Brasil | Alterar site
  • Contact
  • Add to My Content
  • Share

07/05/2015  Düsseldorf / Alemanha

Companhia teve aumento de 12,7% nas vendas, atingindo um recorde trimestral de € 4.430 milhões

Henkel anuncia um bom desempenho no primeiro trimestre de 2015

"Esperamos conquistar um crescimento orgânico das vendas de 3 a 5% em 2015, além de um retorno sobre vendas ajustado por volta de 16% e antecipar o aumento nos rendimentos ajustados por ação preferencial de aproximadamente 10%", comenta o CEO da Henkel, Kasper Rorsted, sobre a previsão dos próximos meses em 2015.

O resultado da Henkel do primeiro trimestre de 2015 apresentou um bom desempenho da Henkel. Com um aumento de 12,7% nas vendas, a companhia atingiu um recorde para o trimestre de 4.430 milhões de euros. Ajustadas para os efeitos positivos do câmbio, as vendas apresentaram crescimento de 6,9% organicamente, ou seja, ajustadas para o câmbio e aquisições/desinvestimentos, as vendas cresceram 3,6%. “Em um quadro desafiador, a Henkel obteve um forte desempenho no primeiro trimestre com um bom início do ano fiscal em 2015. Mais uma vez, aumentamos as vendas e os lucros. Atingimos nosso nível mais alto de vendas trimestrais até o momento, graças ao bom crescimento nas vendas orgânicas, o impacto das aquisições feitas ano passado e a força do dólar”, disse Rorsted.

O lucro operacional ajustado aumentou 14,1%, passando de € 619 milhões para € 707 milhões. O lucro operacional reportado (EBIT) cresceu 6,5%, de € 608 milhões para € 648 milhões.

O retorno ajustado sobre as vendas (margem EBIT) teve um aumento de 0,2 pontos percentuais para 16,0%. O retorno sobre as vendas também subiu, indo para 14,6%, em comparação aos 15,5% no mesmo trimestre de 2014.

Os rendimentos ajustados por ação preferencial (EPS) subiram 13,5%, de € 1.04 para € 1.18. O EPS reportado subiu de € 1,04 para € 1,09.

Os resultados financeiros da Henkel cresceram € 6 milhões, para € -9 milhões. Isso é atribuído à melhora tanto nos resultados dos juros líquidos, quanto ao resultado cambial. A melhora no resultado do lucro líquido se deve, em parte, a liquidação de senior bond e a maturação das taxas de juros fixas em março de 2014. A taxa de impostos subiu para 24,6%, em comparação aos 23,1% no mesmo trimestre do ano anterior.

O capital operacional líquido relativo às vendas aumentou de 1,4 pontos percentuais para 6,2%, comparado ao período anterior. Tal aumento deve-se principalmente às aquisições feitas em 2014 e aos efeitos do câmbio.

O lucro líquido ajustado da Henkel para o trimestre, após dedução dos juros não controladores, cresceu 12,8%, passando de € 452 milhões para € 510 milhões. A renda líquida relatada para o mesmo período subiu 5,7%, com aumento de € 456 milhões para € 482 milhões. Após dedução de € 12 milhões, atribuíveis aos juros não controladores, a renda líquida subiu para € 470 milhões (acima dos € 449 milhões registrados no mesmo trimestre de 2014).

A posição financeira líquida da Henkel em 31 de março de 2015 foi de € 10 milhões. Em 31 de dezembro de 2014, era de € -153 milhões.

Desempenho das unidades comerciais no primeiro trimestre de 2015
Todas as unidades de negócios da Henkel apresentaram sólido crescimento nas vendas orgânicas.Laundry & Home Care registrou um forte crescimento de 5,2%. Em Beauty Care foi obtido um aumento de 2,1%. E Adhesive Technologies apresentou 3,3% de aumento.

Desempenho Regional
O desempenho da Henkel na América Latina teve um aumento nas vendas de 13,7%, para € 274 milhões. Organicamente, o aumento foi de 5,3%. Esta forte melhora foi impulsionada principalmente pelo desempenho da companhia no México.

Previsões para os próximos balanços de 2015
A Henkel continua esperando um crescimento orgânico das vendas de 3 a 5% no ano fiscal de 2015. É esperado que as unidades de negócios de Adhesive Technologies e Laundry & Home Care gerem, separadamente, um crescimento nas vendas orgânicas dentro dessa faixa. Em Beauty Care, a Henkel espera um crescimento de aproximadamente 2%. Como anteriormente, a Henkel espera um desenvolvimento estável na parcela de vendas dos mercados emergentes. Em comparação aos números de 2014, a empresa espera um retorno sobre vendas ajustado (EBIT) de aproximadamente 16% e um aumento nos rendimentos ajustados por ação preferencial de aproximadamente 10%.