• Brasil | Alterar site
  • Contact
  • Add to My Content
  • Share

04/03/2015  Düsseldorf / Alemanha

O fechamento do ano-fiscal de 2014 da Henkel atingiu a marca de € 16.428 milhões, representando um aumento de 0,4% nas vendas em relação a 2013.

Henkel apresenta resultados financeiros de 2014 com um bom desempenho em um ambiente desafiador

A companhia apresentou um aumento 0,4% nas vendas, em comparação a 2013, atingindo 16,428 milhões de euros. As vendas orgânicas, que excluem o impacto do câmbio internacional e das aquisições/desinvestimentos, registraram um aumento de 3,4%.

O fechamento do ano-fiscal de 2014 da Henkel atingiu a marca de € 16.428 milhões, representando um aumento de 0,4% nas vendas em relação a 2013. As vendas orgânicas, excluindo o impacto do câmbio e das aquisições/desinvestimentos, apresentaram um sólido aumento de 3,4%. “2014 foi um ano de sucesso para a Henkel. Em um ambiente de mercado desafiador e muito competitivo, atingimos nossas metas financeiras e fizemos ótimos avanços na implantação da nossa estratégia 2016", comenta o CEO da Henkel, Kasper Rorsted.

Com € 1.029 milhões, as vendas na América Latina ficaram abaixo do nível do ano anterior devido a efeitos negativos do câmbio. Entretanto, organicamente, as vendas aumentaram em 4,4% impulsionadas principalmente pelo desempenho comercial no México.

Após aplicar ganhos únicos, custos únicos e de reestruturação, o lucro operacional ajustado (EBIT) subiu 2,9%, passando de € 2.516 milhões para € 2.588 milhões. Todas as três unidades comerciais (Laundry & Home Care, Beauty Care e Adhesive Technologies) contribuíram para este avanço positivo. O lucro operacional reportado (EBIT) somou € 2.244 milhões, comparados aos € 2.285 milhões do ano anterior.

O retorno ajustado sobre vendas (margem EBIT) aumentou em 0,4 pontos percentuais, de 15,4% para 15,8%. O retorno reportado sobre vendas aumentou 13,7% em comparação aos 14,0% do ano anterior. Os ganhos ajustados por ação preferencial (EPS) aumentou em 7,6%, de € 4,07 para € 4,38. O EPS reportado subiu de € 3,67 para € 3,76.

O resultado financeiro melhorou em € 64 milhões, para € -49 milhões. Isto se deve principalmente à melhora nos resultados dos juros líquidos, que se atribui em parte ao pagamento de títulos principais em junho de 2013 e março de 2014, assim como ao vencimento de taxas de juros pré-fixadas em março de 2014. A taxa de impostos foi de 24,3%, em comparação aos 25,3% do ano anterior.

O lucro líquido ajustado para o ano após a dedução de juros não controlados cresceu 7,5% de um ano para o outro, de € 1.764 milhões para € 1.896 milhões. A renda líquida para o ano subiu 2,3%, de € 1.625 milhões para € 1.662 milhões. Após deduzir € 34 milhões atribuídos a juros não-controlados, a renda líquida para 2014 foi de € 1.628 euros, sendo € 1.589 milhões em 2013.

O Conselho Administrativo, o Conselho de Supervisão e o Comitê de Acionistas proporão um aumento de 7,4%, para € 1,31 (2013: € 1,22) em dividendo por ação preferencial e um aumento de 7,5% para € 1,29 (2013: € 1,20) em dividendo por ação ordinária na Assembleia Geral Anual. Como no ano anterior, a proporção de pagamento será de 30,0%.

O capital de giro como porcentagem de vendas mais uma vez atingiu um nível baixo de 4,2%. Entretanto, principalmente devido aos efeitos negativos do câmbio e das aquisições, ele foi 1,9 pontos percentuais acima do que no ano anterior.

A posição financeira líquida fechou o ano em € -153 milhões (2013: € 959 milhões) e foi impactada principalmente por pagamento de aquisições e dividendos. Além disso, os investimentos de capital subiram aproximadamente 19% para € 517 milhões, de € 436 milhões no ano anterior. Nos mercados emergentes, os investimentos de capital aumentaram em 30% sobre o ano anterior, resultando em uma alocação de investimento equilibrada entre os mercados maduros e os emergentes em 2014.

Perspectiva 2015:
“Para o ano-fiscal de 2015, esperamos um crescimento nas vendas orgânicas de 3 a 5%. Esperamos que nossa margem EBIT ajustada cresça aproximadamente 16% e que os ganhos ajustados por ações preferenciais cresçam aproximadamente 10%", disse Rorsted, resumindo as metas financeiras para 2015.