07/12/2021

Criar atividades e métodos para incentivar a concentração, a criatividade e coordenação motora são importantes fatores contra a desatenção e ansiedade na infância no período de adaptação para a volta à sala de aula

Retorno do ensino presencial: Como estimular o desenvolvimento infantil através de interações lúdicas

A pandemia causou profundas transformações pedagógicas, fazendo com que as aulas no país fossem levadas para dentro de casa repentinamente sem que houvesse transição adequada em toda a cadeia educacional. Agora, com o aumento da vacinação na população brasileira e a flexibilização da circulação urbana, foi possível a retomada do ensino dentro da escola. Os estados brasileiros liberaram o modelo presencial para alunos pelo país. Neste retorno, após mais de um ano em distanciamento, é necessário estimular as crianças para facilitar a readaptação.

O novo transicionamento precisa de adaptação e ressocialização das crianças, pois o período em casa gerou impactos no aprendizado, no comportamento, nos hábitos, na saúde física e mental dessa população. Incentivar interações divertidas e criativas, na escola ou em casa com a supervisão de adultos, para estimular o desenvolvimento infantil têm papel essencial nos âmbitos cognitivo, socioemocional e cultural.

As atividades lúdicas estimulam a concentração, a criatividade e a coordenação motora infantil, atributos que a Pritt desenvolve em apoio à educação das crianças há mais de 50 anos. "O público infantil tem uma relação especial com a imaginação, pois trata como verdade seus sonhos e fantasias. Por isso é tão importante criar dinâmicas que despertem a curiosidade em aprender. Sem que percebam, essas interações elevam a autoconfiança, a empatia, a persistência, a concentração e tantas outras atitudes necessárias para sua formação pessoal e educacional", comenta Beatriz Negrão, gerente de marca e produto da Pritt.

Esse retorno ao ensino dentro da sala de aula será marcado por importantes desafios. Mais do que elaborar ações educacionais para reintegrar o estudante ao ambiente escolar ao lado de outros alunos, todo o ecossistema educacional terá de lidar com a defasagem de ensino. Cerca de 40% da população infantil sequer teve acesso aos estudos remotos durante a pandemia por razões econômicas, segundo levantamento do Instituto Ayrton Senna em parceria com a Oppen Social.

No mesmo estudo, ainda foram constatados os impactos no aumento do nível de ansiedade e desatenção das crianças neste período de crise, interferindo diretamente no processo de aprendizagem.

"Com o retorno dos estudos presenciais, é fundamental elaborar iniciativas pedagógicas envolvendo toda a cadeia educacional, estimulando as competências socioemocionais com as crianças para superar os efeitos negativos provocados pelo isolamento. Esse conjunto de atividades encoraja a criança a conseguir tomar decisões assertivas diante de situações adversas ou novas", complementa Beatriz.

Dentre os exemplos de atividades lúdicas que podem ser feitas tanto em casa quanto na escola estão ‘desenhando sentimentos’ e ‘mímica das emoções’ para desenvolver o lado emocional e que inclui habilidades motoras, criatividade e a imaginação. "Essas ‘brincadeiras’ podem ser elaboradas em diversos formatos pelos pais e educadores, e permitem inclusive envolver a proposta de recorte e colagem de imagens de revistas; criação de cena com retalhos de diferentes papéis, tecidos, materiais e texturas; além de elaboração de imagens com massinha, que podem ser feitas a partir de Pritt bastão e Pritt Tenaz líquida", finaliza a profissional.

Para além de atividades lúdicas também estão as experiências com diferentes materiais para descobrir novos horizontes.O compromisso de Pritt está no incentivo da educação como um todo. Atividades como experiências com diversas matérias primas como alimentos, adesivos, amido entre outros. Os professores interessados podem acessar as atividades por meio do site Global da marca e do site Pritt World do Brasil.