05/03/2020  Düsseldorf / Alemanha

Desaceleração econômica e aumento de investimentos afetam os resultados das unidades de negócios da companhia

Henkel anuncia desempenho de 2019 e apresenta perspectivas para 2020

  • Resultados de 2019, impactados pela desaceleração do crescimento econômico e pelo aumento dos investimentos em negócios de consumo e digitalização em toda a empresa:
    • As vendas aumentam 1,1%, para 20.114 milhões de euros, com vendas orgânicas estáveis;
    • Margem EBIT ajustada* em 16,0% (-1,6 pp);
    • O lucro ajustado* por ação preferencial (LPA) atinge 5,43 euros, -9,7% nominal, a taxas de câmbio constantes de -10,1%;
    • Fluxo de caixa livre: 2.471 milhões de euros (+554 milhões de euros);
    • Dividendo** no nível do ano anterior: 1,85 euro por ação preferencial.
  • Perspectivas para 2020: maior avanço nos investimentos em crescimento, em um ambiente de mercado industrial incerto
    • Crescimento orgânico nas vendas: 0 a 2%;
    • Margem EBIT ajustada*: cerca de 15%;
    • *LPA ajustado: redução na faixa percentual de um dígito médio a alto, a taxas de câmbio constantes.

"Em 2019, nosso desempenho comercial foi misto de forma geral. Nossa unidade de negócios de Adhesive Technologies foi impactada por uma desaceleração acentuada nos principais segmentos de clientes, em particular, nos setores automotivo e de eletrônicos. Ao mesmo tempo, nossos negócios de consumo, Laundry & Home Care e Beauty Care enfrentaram intensa concorrência em muitos mercados", disse o CEO da Henkel, Carsten Knobel.
"No início de 2019, anunciamos nosso plano de aumentar os investimentos em cerca de 300 milhões de euros anualmente para fortalecer nossas marcas, tecnologias e inovações, além de acelerar a transformação digital da Henkel", explicou o executivo. No decorrer do ano, a Henkel aumentou gradualmente esses investimentos de crescimento em toda a empresa, mas o financiamento adicional não foi totalmente utilizado. Tanto o declínio dos volumes quanto o aumento dos investimentos em crescimento impactaram os lucros e a margem EBIT em 2019. "Graças ao nosso foco contínuo em gestão de custos, maior eficiência de nossos processos e adaptação das estruturas, conseguimos mitigar parcialmente esses efeitos", afirmou. "Também continuamos investindo na expansão e atualização de locais de fabricação e centros de inovação. Além disso, fortalecemos nossos diferentes negócios por meio de aquisições e parcerias direcionadas, com um volume total de quase 600 milhões de euros", reforçou.
"No entanto, não estamos satisfeitos com os resultados que alcançamos. Tínhamos ambições mais altas para a Henkel e, consequentemente, tomaremos medidas decisivas para alavancar totalmente nosso potencial de crescimento e melhorar o desempenho financeiro no futuro", concluiu Knobel sobre o desenvolvimento dos negócios em 2019.

Perspectivas para 2020

A Henkel publicou hoje suas perspectivas para o ano fiscal de 2020, em linha com o anúncio em dezembro de 2019. Para este ano, a Henkel planeja gerar um crescimento de vendas orgânicas de 0 a 2%. A companhia também espera um efeito adverso no desempenho de seus lucros neste ano, dada a incerteza que prevalece no ambiente industrial e aos maiores investimentos ano a ano em marketing e publicidade, bem como em digitalização e TI, para fortalecer seus negócios de maneira sustentável. Espera-se que a margem EBIT ajustada atinja cerca de 15%, e o lucro ajustado por ação preferencial (LPA) diminua na faixa porcentual de um dígito médio a alto a taxas de câmbio constantes.

Desempenho de vendas e lucros no ano fiscal de 2019

As vendas no ano fiscal de 2019 aumentaram nominalmente em 1,1%, para 20.114 milhões de euros. Os efeitos cambiais tiveram um impacto positivo de 0,6% no crescimento das vendas. Ajustadas para estes efeitos cambiais, as vendas cresceram em 0,5%. A contribuição de aquisições e desinvestimentos foi de 0,5%. O crescimento orgânico nas vendas, que excluem o impacto dos efeitos da moeda e de aquisições/desinvestimentos, permaneceu inalterado.

A unidade de negócios Adhesive Technologies apresentou um desenvolvimento orgânico nas vendas de -1,5%. Na unidade de negócios Beauty Care, as vendas foram organicamente -2,1% - abaixo do nível do ano anterior. A unidade de negócios Laundry & Home Care obteve um crescimento orgânico nas vendas de 3,7%.

Os mercados emergentes alcançaram um crescimento orgânico nas vendas de 2,5% e, portanto, foram os principais impulsionadores do desenvolvimento orgânico nas vendas. Os mercados maduros relataram um desenvolvimento orgânico negativo nas vendas de -1,6%.

As vendas na Europa Ocidental foram organicamente -1,2% menores em relação ao ano anterior. A Europa Oriental atingiu um crescimento orgânico de 6,5%. Na Europa Ocidental, as vendas cresceram organicamente em 13,3%. A América do Norte registrou um desenvolvimento orgânico negativo nas vendas de -2,3%. Na América Latina, as vendas cresceram organicamente em 4,9%. Na região Ásia-Pacífico, as vendas diminuíram organicamente em -6,5%.

O lucro operacional ajustado (EBIT) diminuiu em -7,9%, de 3.496 milhões de euros no ano anterior para 3.220 milhões de euros.

O retorno sobre as vendas ajustado (margem EBIT) foi de -1,6 ponto percentual em relação ao ano anterior, para 16,0%. A lucratividade da companhia foi impactada negativamente pelo aumento dos investimentos em marcas, tecnologias, inovações e digitalização anunciados no início de 2019. No entanto, o financiamento adicional não foi totalmente utilizado. No total, cerca de 50% do valor planejado de 300 milhões de euros foi gasto em 2019.

O resultado financeiro diminuiu de -65 milhões de euros em 2018 para -88 milhões de euros em 2019. Isso ocorreu principalmente devido às despesas com juros de compromissos de arrendamento, após a aplicação inicial do padrão contábil IFRS 16.

O lucro líquido ajustado, após dedução de participações de acionistas não controladores, foi de 2.353 milhões de euros, em comparação com 2.603 milhões de euros no exercício fiscal de 2018.

Os lucros ajustados por ação preferencial (LPA) diminuíram em -9,7%, de 6,01 euros no ano fiscal de 2018 para 5,43 euros. A taxas de câmbio constantes, os lucros ajustados por ação preferencial diminuíram em -10,1%.

O Conselho de Administração, o Conselho Fiscal e o Comitê de Acionistas vão propor à Assembleia Geral Ordinária de 20 de abril de 2020 o mesmo dividendo que no ano anterior, sendo 1,85 euro por ação preferencial e 1,83 euro por ação ordinária. Isso equivale a uma taxa de pagamento de 34,2%, 3,3 pontos percentuais acima do ano anterior e dentro da meta de pagamento de dividendos de 30 a 40%.

O capital de giro líquido, como porcentagem das vendas, melhorou em -1,2 ponto percentual, para 3,9%.

O fluxo de caixa livre atingiu um novo recorde, com 2.471 milhões de euros (ano anterior: 1.917 milhões de euros).

A posição financeira líquida melhorou ainda mais e encerrou o ano em -2.045 milhões de euros (31 de dezembro de 2018: -2.895 milhões de euros).

Desempenho das unidades de negócios

As vendas geradas pela unidade de negócios Adhesive Technologies aumentaram nominalmente em 0,6%, para 9.461 milhões de euros no ano fiscal de 2019. Em um ambiente industrial desafiador, com forte queda nos setores automotivo e eletrônico, as vendas diminuíram organicamente em -1,5%. O lucro operacional ajustado caiu -2,8% em relação ao ano anterior e atingiu 1.712 milhões de euros. O retorno ajustado sobre as vendas foi de 18,1% (ano anterior: 18,7%).

O desenvolvimento orgânico nas vendas da unidade de negócios Beauty Care foi negativo em -2,1% no ano fiscal de 2019. Nominalmente, as vendas foram de -1,8% abaixo do ano anterior, atingindo 3.877 milhões de euros. O lucro operacional ajustado foi de 519 milhões de euros, uma queda de -23,1% em relação ao ano anterior. O retorno sobre as vendas ajustado diminuiu ano a ano para 13,4% (ano anterior: 17,1%), devido, principalmente, a uma margem bruta em declínio e ao aumento dos investimentos em marcas, tecnologias, inovações e digitalização.

A unidade de negócios Laundry & Home Care gerou um forte crescimento orgânico nas vendas de 3,7% no ano fiscal de 2019. Nominalmente, as vendas aumentaram 3,7%, para 6.656 milhões de euros. Com 1.096 milhões de euros, o lucro operacional ajustado foi -5,7% abaixo do ano anterior. O retorno sobre as vendas ajustado diminuiu -1,6 ponto percentual, para 16,5%, principalmente devido ao aumento dos investimentos em marcas, tecnologias, inovações e digitalização.

Nova estrutura estratégica: Vencendo a década de 2020 por meio de um crescimento com propósito

"Definimos uma nova estrutura estratégica para um crescimento intencional, a fim de garantir o desenvolvimento bem-sucedido da Henkel no futuro. Pautados em uma base sólida e impulsionados por nosso objetivo comum de criar valor sustentável, os principais elementos dessa estrutura são um portfólio diferenciado, com vantagem competitiva nas áreas de inovação, sustentabilidade e modelos operacionais digitais prontos para o futuro, sustentados por uma estrutura sólida de uma cultura colaborativa e pessoas capacitadas", explica Carsten Knobel.


* Ajuste quanto a ganhos/encargos únicos e encargos de reestruturação.
** Proposta aos acionistas para a Assembleia Geral Anual de 20 de abril de 2020.