30/09/2021  São Paulo

Vendas cresceram em 2020 e devem aumentar 10% em 2021. Líder em fornecimento para processo de lubrificação e limpeza na produção de latas e tampas de alumínio, a Henkel desenvolve solução à baixa temperatura

Produção de latas dispara na pandemia e setor projeta novo crescimento

A produção de latas de alumínio disparou na pandemia em grande parte pelo aumento do consumo de bebidas em latas e as perspectivas são de novo crescimento. No ano de 2020, foram comercializadas 32 bilhões de latas no país, aumento de 7,3% segundo pesquisa da Associação Brasileira de Produtores de Latas de Alumínio (Abralatas). Os resultados de 2021 sinalizam essa aceleração, com expectativa de que sejam vendidas até o fim do ano 35 bilhões de latas no país, aumento de 10%.

O aquecimento do setor de latas de alumínio atinge toda cadeia produtiva. Líder global em tecnologia para fabricação e limpeza das latas e tampas, a Henkel renovou seu portfólio oferecendo soluções que atendam a esse aumento exponencial na produção, com menor custo e impacto ambiental.

A empresa desenvolveu operação de limpeza de latas à baixa temperatura, promovendo limpeza de resíduos à 35°C, enquanto o sistema convencional é a 60°C. O desengraxante de baixa temperatura apresenta a mesma eficiência do modelo tradicional, com maior segurança de operação, redução do consumo de água e pegada de carbono, assim como menor tempo de parada de equipamento para manutenção, atendendo as metas de sustentabilidade global de toda a cadeia produtiva.

“O consumidor se tornou muito mais adepto à utilização de latas e os números mostram que essa tendência continuará em expansão. Dentro dessa necessidade de aumentar a produção com alta qualidade, os desengraxantes de baixa temperatura são um grande diferencial para o setor, sobretudo diante do aumento da produção nacional, somada à preocupação ambiental e a necessidade de redução de custos ao cliente”, destacou Anderson José Guerrero, Gerente de Vendas do departamento Metal Packaging da Henkel Latam.

Em virtude do isolamento devido a pandemia, houve um incentivo à mudança de hábito, que levou muitas pessoas a optarem por consumir bebidas em latas em vez da garrafa de vidro. Isso provocou o aumento da participação de cerveja em lata de 50% para 70%  em relação à cerveja em garrafa. As latas levam vantagens sobre a garrafa devido à variedade de formatos, maior reciclabilidade, praticidade e por serem consideradas mais limpas e melhores para logística em vendas e-commerce.

O entendimento do setor de latas de alumínio é de que a preferência dos consumidores pela lata seja mantida mesmo com o avanço da vacinação no país e a diminuição do número de casos de Covid-19 no país, cuja expectativa faz com que setores da cadeia produtiva de fabricação invistam em recursos tecnológicos para o setor de latas de alumínio.

O faturamento na comercialização de latas foi de R$ 17,5 bilhões em 2020, segundo a Abralatas. No primeiro semestre de 2021, na comparação com igual período de 2020, as vendas de latas às empresas envasadoras de bebidas registraram aumento do 22,6%. O mercado brasileiro de latas se encontra em fase de grande crescimento, com duas novas plantas anunciadas em Minas Gerais. Outras três estão previstas para inauguração até 2025 pelo país.