03/11/2021  São Paulo

Má fixação e desgaste de parafusos e porcas aumentam instabilidade e afetam produtividade industrial; soluções promovem travamento e vedação de peças

Os riscos da falta de manutenção industrial. Saiba como evitar

A manutenção industrial é um fator indispensável para manter a alta performance da cadeia produtiva. Isso envolve principalmente as superfícies roscadas, submetidas a diversas forças e torques. Aquele pequeno sinal de falha em uma montagem pode resultar em consequências muito graves ao longo da produção, algo que poderia ter sido evitado caso houvesse procedimentos simples e eficientes de reparo.

A perda de tensão e afrouxamento de parafusos e porcas também impactam diretamente no processo produtivo na indústria. A má fixação ou soltura de uma simples peça podem causar a desestabilização, vazamento e perda de performance de equipamentos, colocando em risco a produção. Essa instabilidade deixa os equipamentos mais expostos a erros e quebras, cujos riscos se agravam progressivamente caso não sejam reparados a tempo.  

O monitoramento e controle das peças e a utilização de soluções que reforçam o travamento e vedação de superfícies roscadas são fundamentais para manter a alta performance do processo industrial e garantir sua segurança, impedindo, por exemplo, que uma peça se solte e se desloque.  

“Parafusos e porcas são submetidos a diversos tipos de fatores que causam sua falha, como tensão de aperto inadequada, altas e baixas temperaturas, vibração, impactos, corrosão entre outros. Existem soluções adesivas anaeróbicas que ao serem aplicadas preenchem os espaços vazios, tornando a porca e parafuso um conjunto único. A cura acaba formando um plástico termofixo, tornando-se resistente a vibrações e todos os fatores citados anteriormente”, destaca Célio Ruiz, gerente de Assistência Técnica para Adesivos e Selantes da Henkel para América Latina.

A utilização de tecnologias anaeróbicas para vedação de roscas e flanges também ajuda a prevenir o vazamento de líquidos ou gases em flanges usinadas e em tubos roscados, promovendo maior adesão de montagens cilíndricas.

Corrosão de peças representa riscos à produção

Um problema comum em processos industriais é a corrosão das peças. Com o tempo, a peça corroída vai perdendo sua eficiência, gerando riscos à toda cadeia produtiva. Em casos mais simples, a substituição de peças é feita sem afetar a produção. No entanto, falhas na manutenção das peças podem implicar em custos de parada e de montagem.

Em casos mais graves, a perda da resistência dessas peças pode culminar na quebra de equipamentos, vazamentos e paralisações da produção. Peças corroídas costumam ter desmontagens muito mais difíceis. Tecnologias, como o Loctite 243, atuam lubrificando as roscas no momento da montagem,  proporcionando travamento e possibilitando a sua remoção, devido à proteção da área da rosca facilitando uma manutenção futura.

“É importante lembrar que as peças sofrem corrosão. E quando isso ocorre, a dificuldade de remoção é enorme. Existem soluções que protegem as peças de corrosão e que também facilitam a desmontagem dessas peças. A manutenção eficiente traz mais segurança e evita prejuízos”, acrescenta Célio Ruiz.