29/12/2021

Levantamento de Pritt mostra que 72,5% dos pais fazem questão da presença dos pequenos na hora de escolher os produtos da lista do material

Levar ou não os filhos às compras escolares? Pais dizem que é importante ter a participação das crianças neste momento

O ano nem bem começa e muitos pais já traçam planos de como completar todos os itens da lista de compras escolares. Diversas questões vem à cabeça. Quanto investir nas aquisições dos materiais do colégio? Quais os melhores produtos? Como saber o que não oferece risco à criança? Quais os materiais essenciais? O que ajudará no desenvolvimento do pequeno?

Nesse emaranhado de questionamentos antes de ir às compras, ainda existe a indefinição sobre a participação dos pequenos no momento das escolhas. Há mais de 50 anos apoiando o desenvolvimento infantil com atividades lúdicas que estimulam a educação, concentração, criatividade e coordenação motora infantil, a Pritt realizou interação nas redes sociais questionando se os pais vão às papelarias acompanhados das crianças, o período de compras e quais materiais não faltam na lista de compras.

No levantamento, 72,5% dos respondentes assinalaram que os materiais escolares são comprados acompanhados com os filhos. A presença em família nesse momento já começa a trazer estímulos à criança e também inicia a reinserção no ambiente escolar, mas requer cuidados para que as aquisições não sejam feitas por impulso. Dentre as pessoas que responderam o questionário, 84,3% ainda disseram que janeiro é o mês de começar a olhar esse assunto.

“O hábito de compra do consumidor vem mudando com o tempo e escutá-lo é primordial para entender o novo momento nesse retorno às aulas presenciais das crianças para o mercado de material escolar como um todo. As lojas, as marcas de diferentes itens e o mercado como um todo está retomando o ritmo e se readaptando a nova realidade assim como os pais, os estudantes e as escolas”, conta Beatriz Negrão, gerente de marketing de Pritt Brasil, marca de adesivos escolares da Henkel.

Algumas recomendações são importantes para decisões assertivas no período de compra de materiais escolares. Confira:

Planejar e ir às compras com antecedência: Deixar as compras escolares para a última hora impactam negativamente no bolso. Com planejamento, é possível pesquisar os melhores preços, afinal é comum que um mesmo produto vendido em um estabelecimento apresente variação no valor em comparação a outro local. Além de reajustes, existe o risco de não achar determinados itens em uma papelaria, obrigando a pessoa a gastar tempo (e talvez dinheiro) para se locomover em direção a outro comércio. Por fim, os pais “atrasados” enfrentam os transtornos causados pela grande movimentação em pontos de vendas de materiais escolares para os que compram às vésperas do início das aulas.

Escolha produtos seguros às crianças: Grande parte dos produtos comprados serão utilizados pela criança ao longo do ano todo. Portanto, é imprescindível que os materiais sejam seguros no manuseio e também um possível incidente com ingestão. A cola bastão Pritt, por exemplo, é livre de solventes e possui fórmula com 90% de ingredientes naturais, totalmente segura às crianças. Uma curiosidade: a composição da cola de bastão da Henkel é feita à base de amido de batata e açúcar. Além disso, a Pritt bastão é a cola com menor porcentagem de água na fórmula do mercado e isso faz com que a fixação tenha maior poder de colagem e sem enrugar o papel.

Estímulos ao pequeno com os estudos: Inserir o filho nesta experiência de compras dos materiais pode ser um importante estímulo para a vida escolar. Essa aproximação com o clima dos estudos por meio da aquisição dos materiais ativa a imaginação do pequeno, elevando sua autoestima. Ter o produto preferido traz motivação às crianças. No entanto, é importante que os adultos expliquem, de forma didática, o quanto representou essa compra para que seja entendido o valor desse investimento escolar.

Senso de responsabilidade: É lógico que a criança não precisa saber quanto foi desembolsado para que todos os itens da lista escolar ganhem um visto. Neste processo de compras, a criança desenvolve o senso de responsabilidade, analisando, por exemplo, aquilo que ganhou no ano passado e os materiais que terá neste ano. O dinheiro permitiu uma compra mais qualificada? Quais objetos podem ser compartilhados com familiares e amigos? A criança reconhecerá a importância daquele material que ela carrega no cotidiano escolar.